New Orleans, Lousiana

Nos meus 3 dias em New Orleans involuntariamente comparei muito a cidade com Las Vegas pelas seguintes razões:
  1. "Cidade do Pecado" - achei que New Orleans deveria ser condecorada como a original "sin city" dos Estados Unidos. Depois de NOLA, minha impressão que Las Vegas é o "McDonalds" dos EUA ficou ainda mais reforçada já que Vegas, assim como McDonalds, é genérica, artificial e cafona. Em NOLA tudo parece mais autêntico.
  2. Uma rua que concentra toda a ação - A Bourbon Street no French Quarter, apesar do odor peculiar, deixa a Strip de Vegas no chinelo nos quesitos diversão, contato humano, originalidade e qualidade da música (talvez só  perca para Vegas no quesito variedade gastronômica). 
  3. Passeio de adulto - Assim como Las Vegas, achei que New Orleans é passeio para adulto. Talvez crianças até curtam os passeios fora da cidade, mas as principais atrações  do centro da cidade, que são música, vida noturna & gastronomia, não tem apelo infantil.
Agora foco em NOLA: Andar pelo French Quarter é uma experiência bacana, a arquitetura colonial e atmosfera são bem diferentes do que se espera de uma cidade americana. Muita música na rua, artistas e lojinhas descoladas. Além de pessoas bebendo a indefectível versão americana do baiano "Kapeta" - o frozen daiquiri!







Infelizmente preciso relatar que a Bourbon Street não cheira bem. O odor peculiar deve ser em função da bebida + esgotos parados já que a cidade é bem plana + xixi (urghh) e o calor. A Bourbon Street é a "Passarela do Álcool" de New Orleans: várias figuras bizarras, pós-adolescentes tentando ver "boobs" e turmas fazendo despedidas de solteiro ou solteira. Contudo, antropologicamente é bem interessante.



Frenchmen Street é muito mais bacana. Por ali estão vários bares com música ao vivo de ótima qualidade: jazz, blues, rock e um até um pouquinho de reagge. Além disso, as "turminhas" da Bourbon Street são menos onipresentes. Como os bares não cobram entrada, é ótimo para sair e entrar em vários de acordo com a música e o humor. Por ali também rola uma feirinha de artesanato, souvernirs e bijuterias, a Frenchmen Art Market, que vale ser conferida.




BARES E MÚSICA AO VIVO:
Algumas opções de bares com música ao vivo que visitamos: The Spotted CatBlue Nile e Apple Barrel, todos na Frenchmen Street. Outras recomendações que não deu tempo de conhecer: The Maple Leaf Bar, Tipitinas e One Eyed Jack.

COMIDINHAS & RESTAURANTES
Uma das atrações principais de NOLA é a gastronomia: berço da cozinha crioula, que lembra um pouco da culinária baiana (sem surpresas, muita influência africana aqui também), frutos do mar frescos divinos e uma pitada da culinária francesa (ja que a Lousiania tem esse nome em homenagem ao rei frances Luis XVI). Outra curiosidade - 1/3 dos frutos do mar que se come nos EUA é pescado na Lousiania. 

Comemos muitíssimo bem nos 3 dias e olha que não conseguimos ir em todos os restaurantes que foram recomendados!
- Dia 1
Delicioso prato de frutos do mar frescos no Bourbon House Seafood.
- Dia 2
Brunch no Palace Café, experimentamos o curioso cheesecake de caranguejo, muito bom.
Jantar maravilhoso no Tableau French Quarter, onde experimentei a melhor French Onion Soup da vida.
- Dia 3
Brunch/Almoço no Original French Market, no qual experimentamos carne de jacaré!

Outras recomendações: Jacque Imos, Atchafalaya, Cochon, The Court of Two Sisters. 

 


PASSEIOS
Existem múltiplas opções de passeio: city-tour, ghost tour, voodoo tour (eles adoram um vampirismo e uma histórias mal assombradas) pântanos & jacarés, e o "plantations", que são passeios até fazendas antigas no estilo "E o Vento Levou". 

No French Quarter tem várias operadoras de turismo que reservam os passeios na hora, tudo muito fácil.

No Dia 2 fizemos o passeio do pântano que dura aproximadamente 1h30 e mais uns 45' dirigindo desde o centro da cidade (reservar pelo menos 1/2 dia para o passeio. O passeio pode ser feito no barco "normal" e "airboat", que é um barco movido por um mega ventilador. O Airboat é o passeio com emoçao, mas também com muito barulho. Para ter paz e evitar um mega ventilador no ouvido por 1h30, fomos com o barco mais old-school mesmo. 
O passeio é super bacana e os jacarés sao mega simpáticos - eles amam comer marshmallows!









 


No Dia 3 alugamos bikes no Crescent City Bike Tours ($20/4 horas) e fizemos um tour bem legal de umas 3 horas no French Quarter, Business Distric, ao longo da margem do Rio Mississippi, Superdome e extendemos a pedalada até o parque do NOMA, o New Orleans Museum of Art.

Jardim de Esculturas do NOMA
Antigo barco a vapor no Rio Mississippi
Arena Superdome
Passeio de bicicleta pela Riverfront
Louis Armstrong Park








ONDE FICAMOS:
NOLA é uma das cidades mais turísticas  dos EUA, consequentemente os hotéis são concorridos e relativamente caros. A maioria dos hotéis fica entre o French Quarter e o Business District.
Resolvemos buscar algo mais em conta no Airbnb e achamos um quarto bem decente em uma região não tão glamurosa (Mid-City), mas bem localizado, limpo, amplo e seguro.


Casa abandonada apos o Furacao Katrina


EXTRAS:
Alguns programas e documentários que assisti como preparação para a viagem:
1) The Layover with Anthony Bourdain - New Orleans
2) 108 ESSENTIAL DOCUMENTARIES ABOUT NEW ORLEANS no site da PBS (claro que não vi todos)
Mapa com a localização dos bares, restaurantes e lugares que conhecemos:


Data do Post 04.apr.15